Viagens – Sergipe e Alagoas

Em 2000 fizemos uma longa viagem de carro até o Maranhão retornando pela Bahia e em 30 dias e conhecemos um lado do Brasil que até então achava que não existia. O conceito de moradia e condições sociais para quem vive em São Paulo está muito além da realidade de alguns lugares do Brasil, e isso você só consegue ver se pegar a estrada e após deixar as grandes capitais passar pelos povoados esquecidos no tempo e conhecer o Brasil de verdade.

13 anos se passaram e a vontade de fazer isso novamente crescia a cada dia, principalmente quando trocamos de carro e finalmente tinhamos “o carro” que não nos deixaria na mão. Esse foi o trajeto que fizemos, não foi o trajeto planejado porque conforme avançamos na viagem descobrimos lugares e mudamos a nossa rota:

  • 1º Dia: São Paulo (SP) – Itaobim (MG)
  • 2º Dia: Itaobim – Aracaju (SE)
  • 3º Dia: Aracaju (SE)
  • 4º Dia: Aracaju (SE) – Maragogi (AL)
  • 5º Dia:  Maragogi (AL)
  • 6º Dia:  Maragogi (AL) – Maceió (AL)
  • 7º Dia:  Maceió (AL) – Piranhas (SE)/Canindé de São Francisco (AL)
  • 8º Dia:   Passeio Cânion Xingó – Piranhas (SE) – São Antonio de Jesus (BA)
  • 9º Dia: São Antonio de Jesus (BA) – Vitória (ES)
  • 10º Dia:  Vitória (ES) – São Paulo (SP)

TOTAL: 6.400 km

Preparativos para a viagem:

O que foi essencial nessa viagem é que pensamos no tempo que ficariamos no carro, então segue alguns itens que são essenciais para o seu conforto:

  • GPS e Mapa Rodoviário – O GPS funcionou bem na BR, mas nas estradinhas municipais não, então um bom mapa rodoviário é ainda muito usado.
  • Anote e tire “prints” de tela do google maps das cidades que passam no caminho, saber o nome dos povoados ajuda muito quando o GPS fica doido.
  •  Muitas músicas em MP3 – Se você não é fã de forró, ou qualquer outra coisa que toque no Nordeste, vá preparado.
  • Insulfime ou qualquer coisa que proteja você do sol.    
  • Informações úteis:  Seguro do carro e concessionárias do fabricante próximo aos locais de passagem.   Plano de Saúde e Telefones em caso de roubo/extravio dos cartões de crédito.

Relato da Viagem:

1º Dia: São Paulo (SP) – Itaobim (MG)

A parada inicial era em Teófilo Otoni, mas devido as boas condições da MG 381 decidimos parar em Itaobim. A cidade não tem nada, só ponto de parada mesmo. O Hotel Jequitiara, tem novas instalações, perfeita para viajantes, com bom banho, ar condicionado novo e cama box. Café da manhã honesto, sem muitos caprichos. Não tem jantar, então é bom se garantir no caminho porque a noite em Itaobim , não tem muitas  opções de restaurantes.

http://jequitiarahotel.com.br/

DSC00739

2º Dia: Itaobim – Aracajú (SE)

Saimos logo pela manhã sentido Aracajú na BR 116. A BR 116 não é exatamente uma pista para percorrer com clima de viagem. Nas 3 horas que passamos a BR 116 que liga MG-BA ultrapassamos cerca de 50 cegonheiras.

Se esse fosse o único veículo longo sentido MG/BA

Se esse fosse o único veículo longo sentido MG/BA

A pista mão única dificulta a ultrapassagem e a chuva deixou a gente estressado demais.  Em Jéquié decidimos pegar a BA 330 sentido Ibirapitanga e cair na BR 101.

Nessa hora o nosso dia começou a mudar, o tempo foi abrindo, o sol aparecendo, mas o GPS ficou perdidinho. Essa estrada que liga Jequié a Ibirapitanga é linda, parece uma serra com morros e fazendas. Valeu o desvio.

O GPS passando pela BA 330.

O GPS passando pela BA 330.

No caminho para Aracajú, não tinha outro jeito senão comer em um restaurante de estrada. Não sou muito fã desses restaurantes, mas tinhamos que achar pelo menos um que fosse “limpinho” e que oferece uma comida caseira. Perguntamos em um posto de gasolina perto de Laje – BA e achamos um restaurante chamado Reflexo do Sol, o proprietário Sr. Orlando nos serviu uma deliciosa galinha caipira.

Reflexo do Sol, Laje - Bahia

Restaurante Reflexo do Sol – BR 101 km 296 – Laje/BA

Comida caseira, bom atendimento, e lugar agradável. Missão cumprida para continuir a seguir a estrada.

Chegamos em Aracaju quase às 20h30m, e partimos então para a busca de um hotel para ficarmos. Tinhamos pesquisado na internet que o esquema melhor para ficar em Aracajú era na Av. Santos Dumont, próximo a Praia de Atalaia, então seguimos nessa direção. O transito de Aracajú essa hora já estava tranquilo e não tivemos dificuldades em chegar ao local. A Av. Santos Dumont é bem movimentada, com restaurantes e pessoas caminhando no calçadão da praia, e os Hotéis ficam bem próximos uns aos outros. Como queriamos um quarto com varanda, perguntei o preço no Hotel Celi, Radisson e Via Mar.  O Celi estava lotado, o Radisson até que ofereceu um desconto para a suite frente mar por R$ 250,00, mas ficamos mesmo com o Hotel Via Mar por R$ 150,00 a diária casal quarto frente mar. Foi uma ótima opção porque o Hotel serve um café da manhã excelente, fica próximo de tudo e o atendimento foi tranquilo.

Review Trip Advisor – Hotel Via Mar.

3º Dia: Aracajú (SE)

Dia amanhecendo com sol , mapinha turístico na mão e vamos conhecer as praias de Aracajú.

Após fazer uma caminhada básica pela praia de Atalaia, pegamos o carro e fomos sentindo a Rodovia José Sarney para dar uma olhada nas praias. Dizem que Aracajú é a menos favorecida das capitais do nordeste pois apresenta um mar com coloração um pouco mais escura que as outras. Sinceramente, para quem veio de São Paulo e encontra uma faixa grande de areia, coqueiros, clima agradável e vento para refrescar, não se importa muito com a cor escurinha do mar.

A praia que mais nos agradou foi a Praia do Refugio, neste dia estava bem tranquila.  A prefeitura deveria investir mais em limpeza e ajudar os moradores a fazer o descarte do lixo corretamente. As praias estavam bem sujas e viamos lixo a todo momento.

Balsa para Barra dos Coqueiros

A pobre e suja Barra dos Coqueiros

Visitamos também a região de Barra dos Coqueiros e ficamos impressionados com a bagunça, a região é linda, com um potencial incrível, mas o local é muito pobre e tem lixo pra todo lado, construções invadindo a faixa de praia, e ao mesmo tempo um condomínio gigante sendo construido. A minha visita ao local me deixou um um sentimento de tristeza com um local tão bonito, sendo mal aproveitado e tantas pessoas precisando de recursos.

Mercado Municipal Aracajú

Mercado Municipal Aracajú

Paramos também no Mercado Municipal, muito legal, bem bagunçado e com coisas típicas da região do Nordeste, mas do Sergipe também. Destaque para o artesanato local e o preço da castanha de caju – R$ 25,00 kg.

No almoço fomos experimentar a deliciosa Carne de sol do Ramiro, tradição em Aracajú, o almoço foi ótimo , comemos uma peça de filet mignon transformada em carne de sol servida com muitos acompanhamentos. Como a carne de sol é um pouco salgada adorei o acompanhamento do purê de leite e do vinagrete.

Durante a noite caminhamos mais um pouco pela Passarela do Caranguejo  e infelizmente ficou faltando a visita ao Oceanário.

4º Dia: Aracaju (SE) – Maragogi (AL)

A idéia era percorrer o maior trecho da AL-101 conhecida por ser uma das estradas mais bonitas do país. Saímos bem cedo, pegando o caminho em direção a Maceió na SE202, e o auge da viagem no Sergipe seria cruzar o Rio São Francisco bem no seu Delta, então pesquisamos pelo Google Maps e verificamos que em Brejo Grande tinha uma balsa que atravessava com destino a Piaçabuçu. Para chegar no local  já recebemos um monte de informação desencontrada, mesmo procurando no google não achamos com certeza informações sobre essa balsa, mas decidimos ir até lá. Saindo de Aracajú, as cidades (vilarejos) são: Pirambu, Japaratuba. Depois de Japaratuba, não pegue o sentido Pacatuba e pegue o sentido Brejo Grande. Chegamos na pequena Brejo Grande e procuramos informação sobre a balsa.

Vista do Rio São Francisco em Brejo Grande - Sergipe

Vista do Rio São Francisco em Brejo Grande – Sergipe

A Balsa de Brejo Grande

Chegamos no local da Balsa, também um restaurante chamado Cara Peba. O local para a Balsa não tinha estrutura e tabela de preços.

Brejo Grande, Balsa Delta São Francisco

Brejo Grande, Balsa Delta São Francisco

Balsa em Brejo Grande - Sergipe

Balsa em Brejo Grande – Sergipe

A Balsa era particular e tinha que ligar para um número agendando a travessia. Após agendamento, aguardamos por 1h30m e nada da Balsa aparecer. No tempo em que ficamos lá, perguntamos para muitas pessoas, como funcionava e quem administrava a travessia, mas as informações eram muito vagas e sem sentindo. Percebemos que alí era um ponto de acesso para os turistas trazidos de Aracajú pela Nozes Tur para fazer o passeio pelo Delta de São Francisco.

Local sem estrutura para travessia de veículos.

Local sem estrutura para travessia de veículos.

Queriamos muito fazer a travessia por lá, pela aventura, mas cada vez as coisas se complicavam. Não sabiamos se a Balsa estava demorando porque o pessoal era desorganizado, estavam aguardando um carro para fazer o caminho oposto para não perder a viagem, ou para fazer a gente consumir os produtos do restaurante. Enfim, a falta de informação e desorganização foi tanta que resolvemos abandonar a idéia de atravessar por lá.

A Balsa de Neópolis

Após 1h30m aguardando resolvemos voltar e pegar a Balsa em Neópolis, por mais dolorido que o trajeto de 72 km fosse, o tempo que perdemos aguardando a balsa em Brejo Grande seria suficiente para percorrer esse trecho de desvio. Chegando em Neópolis, percebemos que a situação lá era bem diferente. O porto era estruturado, a Balsa com capacidade para vários carros, uma tabela de preços com valores e horários da travessia. Tudo tranquilo, sem esquema!

Tabela de preços Balsa em Neópolis - SE

Tabela de preços Balsa em Neópolis – SE

Balsa Travessia Neópolis - SE para Penedo - AL

Balsa Travessia Neópolis - SE para Penedo - AL

Balsa Travessia Neópolis – SE para Penedo – AL

Tudo tranquilo, sem esquema!

Finalmente,  AL 101!

Segundo o GPS:  Alameda 101

A estrada é linda, realmente se você passar por Penedo, pegue o caminho sentindo Piaçabuçu e Feliz Deserto, se o dia estiver com sol, os milhares de coqueiros fazem desse trajeto um espetáculo. Será possível ver o mar somente em alguns trechos próximo a Maceió.

Trecho AL 101 sentindo Barra de São Miguel

Trecho AL 101 sentindo Barra de São Miguel

A estrada é tranquila, cruzamos com poucos veículos e caminhões acredito que nenhum. A frase do dia nesse trecho foi: Bode na Pista! ou Vaca na Pista! já que o cenário é rural mesmo!

Bode na Pista!

Bode na Pista!

Próximo a Barra de São Miguel

Trecho AL 101 chegando em Barra de São Miguel

Trecho AL 101 chegando em Barra de São Miguel

Trecho AL 101 chegando em Barra de São Miguel

Trecho AL 101 chegando em Barra de São Miguel

Paramos rapidinho em Maceió para almoço e o tempo lá estava muito chuvoso, então decidimos partir para Maragogi e ver se estavámos com sorte.

Como Maragogi estava nos planos mas sem compromisso, foi necessário uma parada rápida em um posto de gasolina, bem estruturado, parecia com os de São Paulo, com WiFi Grátis!!! Para pesquisarmos as opções. Em Maragogi, você pode gastar horrores e ficar em um super resort ou ficar em um local normal, bom e com comforto. Por mais que os resorts chamassem a atenção, decidimos pela pousada O Jangadeiro, localizada na cidade de Maragogi é perfeita para quem quer curtir as praias e não o Hotel.

Café da Manhã é ótimo, escolhemos um quarto com varanda no terceiro andar e foi muito bom porque os mais próximos da piscina são um pouco mais barulhentos e não tem privacidade. O Hotel precisa melhor a roupa de cama e fazer algumas reformas para melhorar o acabamento. Mas tirando esses detalhes, o quarto era grande e a cama era boa.

http://www.pousadadosjangadeiros.com.br/

5º Dia:  Maragogi (AL)

Realmente o tempo bom estava a nosso favor, acordamos em Maragogi e o dia estava um pouco nublado, mas após as 10:00 o sol abriu e decidimos fazer um passeio de bug. Tinhamos uma má impressão de passeios de bug, porque o bugueiro é quem faz do seu passeio um sonho ou um pesadelo, e nosso último passeio em Jericoacara não tinha sido  nada bom.

Fizemos o passeio sentido Norte, já que sentido Sul iriamos percorrer de carro e como o próprio bugueiro nos falou, o sentido Norte é quase inteiro pela praia e sentido Sul pega um bom trecho da BR. O nosso bugueiro foi o Sr. Eliaquim, super recomendo! Ele é reservado, coloca a musica que você quiser, faz o passeio a seu gosto e não fica de conversa fiada, só se você puxar assunto. O telefone dele para quem quiser é: (82) 8808-0611/9147-8736. Valor do passeio: R$ 150,00 o casal.

Passeio de Bug Sentido Norte

Passeio de Bug Sentido Norte

Praias percorridas no sentido Norte: Burgalhau, Barra Grande, Xareu, Ponta do Mangue e Peroba, já na divisa.

Na minha opinião as melhores praias são as mais calmas sem o agito dos resorts, então a do Xareu e Dourado ganha muito no quesito natureza , preservação e sossego! Espero que continuem preservando as praias daquela região, pois são maravilhosas. O mar azul claro, a areia fofa e os coqueiros fazem o passeio inesquecível.

Por do Sol - Praia do Xareu - Maragogi

Por do Sol – Praia do Xareu – Maragogi

Dicas de Restaurantes em Maragogi:

Recomendo: Restaurante Taocas – Peixe Assado com arroz e salada

Trip Advisor – Taocas

Não Recomendo: Restaurante Frutos do Mar – Atendimento péssimo, muito caro e mal servido.

Trip Advisor – Frutos do Mar

6º Dia:  Maragogi (AL) – Maceió (AL)

Começando o dia as 06h00 da manhã, caminho ao passeio das Taocas.

Contratamos um barco, colega do Sr. Eliaquim, mas infelizmente o barco quebrou. Ele prontamente chamou ajuda e conseguimos fazer o passeio, mesmo chegando um pouco mais tarde. Na minha opinião, não acredito que esse passeio seja saudável para o meio ambiente das Galés. O local é cheio de gente e recomenda-se não pisar nos corais. Para mim que sou uma pessoa acostumada a nadar foi super difícil imagine para o pessoal que vai pra lá e nem sabe nadar! Ficar 1 hora nadando ou se apoiando em bancos de areia sem pisar em coral é humanamente impossível. Além de que, você tem que segurar o xixi porque não tem banheiro. Só digo uma coisa, coitado dos peixes. Espero que mais pra frente eles limitem o acesso a uma quantidade de pessoas para preservar o local, sem atrapalhar o turismo. Valor do passeio R$ 60,00 por pessoa. Snorkel – R$ 10,00 por pessoa.

Piscina Natural - Taocas - Maragogi

Piscina Natural – Taocas – Maragogi

Recomendo: Câmera a prova d’agua.

Piscina Natural - Taocas - Maragogi

Piscina Natural – Taocas – Maragogi

Não recomendo: Não vá se você não sabe nadar!

Piscina Natural - Taocas - Maragogi

Piscina Natural – Taocas – Maragogi

Decidimos encerrar a conta no hotel e pegar o sentido Sul, voltando para Maceió. O dia estava ótimo e as fotos e o passeio foi ótimo, exatamente o que queríamos com uma surpresa no final.

Praia Japaratinga - Maragogi

Praia Japaratinga – Maragogi

A caminho de Japaratinga nos encontramos com praias maravilhosas, só as fotos para demonstrar tanta beleza!

DSC01009Sentido São Miguel dos Milagres

AL 101 - Sentido São Miguel dos Milagres

AL 101 – Sentido São Miguel dos Milagres

Balsa Sentido Porto das Pedras

Balsa Porto das Pedras - AL

Balsa Porto das Pedras – AL

Existe um trecho, bem pequeno na verdade, mas que estavamos tentando fazer desde que saímos de Maceió para Maragogi. Depois de São Miguel dos Milagres sentido Barra de Santo Antônio, tem um trecho de 27km pela praia, mas não importa o que faziamos o caminho sempre desvia para Passo de Camaragibe e depois São Luis do Quitunde. Paramos em Passo de Camaragibe para perguntar aos nativos se alguém conhecia o caminho e todo mundo apontava sentido BR. Até que alguns garotos nos contaram que esse trecho estava fechado pela usina de cana de açucar que comprou boa parte da terra da região. Nesta altura já estavámos desistindo desse trecho e pensando em seguir direto para Maceió, foi quando decidimos entrar em Barra de Santo Antônio só pra ver como era, e nesse momento ganhamos a surpresa do dia!

Pedimos informação a um pessoal que estava parado na rua, e um rapaz chamado Val, guia turístico prontamente se apresentou para mostrar que era possível fazer o caminho sim, e pelas PRAIAS! Ele se oferesseu para nós guiar e com um pouco de medo e vontade de aventura, decidimos fazer o caminho.

Barra de Santo Antonio

Barra de Santo Antonio

Guia Val na frente e o ASX no caminho. Realmente a estrada é somente conhecida pelos nativos.

A primeira vista da praia do carro quebrado, praias com falésias, beleza total!

Praia do Carro Quebrado

Praia do Carro Quebrado

4X4 Ativado e bora colocar o ASX pra tomar uma brisa do mar!

Passeio com ASX - Praia do Carro Quebrado

Passeio com ASX – Praia do Carro Quebrado

A mistura de praia e falésias, a união do azul do mar e do céu e o vermelho da falésia!

Falésias - Praia do Carro Quebrado

Falésias – Praia do Carro Quebrado

Nosso Guia Val – Infelizmente eu perdi o telefone dele. Mas ele é o Guia do Hotel Captain Nikolas. Ele fez o percurso conosco no seu horário de folga.

Segue contato do Hotel

http://www.captainnikolasresort.com/

Guia Turistico Val

Guia Turistico Val

Entrada para a pista??

Entrada para a pista??

Olha o ASX atravessando a maré!

ASX com 4x4 atravessando a maré!

ASX com 4×4 atravessando a maré!

Depois do trecho areia, se você acha que o trecho acabou, não acabou não. Tem um morro que você sobe e tem essa linda vista:

Vista do Morro da Praia do Carro Quebrado

Vista do Morro da Praia do Carro Quebrado

Uffaa!! Depois de tanta beleza e aventura em um só dia. Chegamos finalmente em Maceió.  O Hotel que ficamos foi na  Hotel caro pra um serviço mais do que básico. Ainda bem que foi só por uma noite.

http://www.vistamarhotel.com.br/

7º Dia:  Maceió (AL) – Piranhas (SE)/Canindé de São Francisco (AL)

Como queríamos muito visitar o Cânion Xingó e era segunda-feira, desde domingo eu estava tentando ligar para Piranhas ou Canindé de São Francisco para obter informações sobre o passeio. No sábado consegui o contato coma MF Turismo, responsável pelo passeio de Catamarã e eles me informaram que o passeio era somente de terça a domingo as 11:00hs.

Na segunda logo pela manhã, liguei para a Secretaria de Turismo de Canindé e eles me informaram que o passeio era todos os dias e em vários horários. Com essa informação decidirmos arriscar a ida.

A estrada sentido Piranhas – AL220 é muito sossegada e conseguimos desenvolver a média de 120 km durante um bom tempo. Chegamos a Canindé logo depois das 12h30min e o tempo também não estava muito bom. Começamos varrer a cidade atrás de informações sobre o tal do passeio.

Fomo primeiramente para Canindé na Secretária de Turismo da cidade. Fomos muito bem recepcionados e a Magalena  ela nos atendeu muito bem. Ela inclusive ligou para a MF-Tur e confirmou que o passeio era somente de terça a domingo e que em temporada eles fazem vários horários, mas fora de temporada somente as 11h00. Preço por pessoa – R$ 80,00.

Visitamos as instalações da MF-Tur e tudo era bem organizado, eles possuem os passeios do Cânion do Rio São Francisco e outro pela Rota do Cangaço que parte de um local diferente.

Já convencidos que teríamos que aguardar até as 11:00 da terça, começamos a perguntar se alguém conhecia outra forma de fazer o passeio.  Paramos para almoçar no restaurante Flor de Cactus, perto do Hotel Pedra do Sino, onde ficamos hospedados e ao pagar a conta, vimos um banner de uma empresa chamada  O Pioneiro, dizendo que também faziam passeios pelo Canion Xingó.

Banner O Pioneiro

Banner O Pioneiro

Ligamos para a empresa O Pioneiro e fomos atendidos pela Edileine . Localizados em Delmiro Gouveia – AL , cerca de 40 km de Piranhas, e ela me explicou que faziam o passeio e contavam com um catamarã e uma lancha. Resolvemos ir até Delmiro para confirmar se era tudo verdade mesmo, e era!  O atendimento da Edileine foi excelente. Eles agendaram a lancha no horário que queríamos e poderíamos ou não almoçar no local. Sem almoço – R$ 65,00 por pessoa, com almoço – R$ 80,00. Decidimos a opção com almoço.

A diferença entre o serviço oferecido pelo O Pioneiro e o serviço oferecido pela MF-Tur para mim é a flexibilidade. Enquanto com a MF-Tur tínhamos que fazer o passeio engessado, do jeito deles, com um catamarã cheio de gente, com a O Pioneiro escolhemos a horário do nosso passeio sem ninguém e se eles ofereceram o almoço como uma opção à parte, sem forçar nada.

O ponto de saída do passeio realizado pela O Pioneiro é a 20 km de distancia, próximo ao município de Olho D’agua do Casado no restaurante Show da Natureza.

Com relação à localização do ponto de saída da MF-Tur e da O Pioneiro, com a MF-Tur você sai de Piranhas e tem que percorrer 20 km pra chegar ao ponto do Cânion, com a O Pioneiro você sai já perto do Cânion e faz o percurso inverso da MF-Tur, visualizando primeiro o Cânion Xingó e depois o Rio São Francisco. Para nós foi ótimo porque às 2 horas de passeios foi preenchida boa parte do tempo pela parte mais bonita que é o Cânion.

8º Dia:  Passeio do Cânion Xingó com a O Pioneiro

No dia seguinte partimos bem cedo sentido Olho D’Agua do Casado, após passar por Olho D’agua do casado, uns 2 ou 3 km você encontra a placa do Restaurante Show da Natureza, preste atenção porque a placa é no sentido inverso. Entre na estradinha de terra. Aí durante o caminho existem várias placas, acho que percorremos uns 8 km de estrada de terra. A estrada é boa e qualquer veículo consegue chegar tranquilo.

Placa do Restaurante Show da Natureza - Olho D'agua do Casado - AL

Placa do Restaurante Show da Natureza – Olho D’agua do Casado – AL

Estrada de terra sentido Restaurante Sow da Natureza

Estrada de terra sentido Restaurante Sow da Natureza

No caminho passa por um vilarejo, igrejinha do vilarejo.

No caminho passa por um vilarejo, igrejinha do vilarejo.

Fomos atendidos pelo Sr. Lourival, dono do Restaurante. O local é muito bonito e logo em seguida chegou o Cícero da O Pioneiro para nos acompanhar no passeio.

Resturante Show da Natureza

Catamarã para 12 pessoas e a lancha.

Catamarã para 12 pessoas e a lancha.

Durante o passeio o nosso piloto da lancha, Antônio, nos explicou a formação dos Cânions e várias curiosidades sobre o local.

Antônio e Cícero da O Pioneiro

Antônio e Cícero da O Pioneiro

O legal e diferencial do passeio foi ida até o Vale dos Mestres, uma entradinha bem pequena, quase imperceptível que possui uma arvore ainda do tempo onde tudo ali era seca.  Tomamos um banho de rio ali mesmo e foi super gostoso.

 Vale dos Mestres - Cânion Xingó

Vale dos Mestres – Cânion Xingó

O legal também foi parar na Gruta do Talhado e para fazer inveja ao blog do Matraqueando, não ter NINGUÉM! Visitamos a gruta SOZINHOS e não precisamos tomar um banho naquele piscinão cheio de gente segurando macarrão. Rimos muito imaginando a situação.

Gruta do Talhado - Cânion Xingó

Gruta do Talhado – Cânion Xingó

Cânion Xingó

Linda formação rochosa

Linda formação rochosa

Voltamos bem no horário do almoço e o Sr. Lourival já tinha deixado tudo pronto, peixe frito com arroz, farofa e  feijão cozido, uma delícia.

Almoço no Show da Natureza

Jardim do Restaurante Show da Natureza

Jardim do Restaurante Show da Natureza

Restaurante Show da Natureza

Voltamos muito satisfeitos com o passeio e contentes por ter encontrado uma opção diferente e que nesse caso nos atendeu muito bem.

Conseguimos com isso, fazer um passeio maravilho dentro da nossa agenda.

Pensamentos sobre o turismo no Cânion Xingó

O turismo no Cânion Xingó é muito novo ainda, tem um pouco mais de 20 anos. Percebi que a região está aprendendo a viver com isso. A Hospitalidade de todos foi muito boa, o que deixou a região ainda mais bonita, embora as informações são poucas e desencontradas. Mas com relação ao potencial turístico acredito que a MF-Tur e a O Pioneiro podem viver sim no mesmo espaço, afinal existe o turista que prefere um turismo estilo Mf-Tur e outro que prefere o turismo estilo O Pioneiro, o mais importante é que tem para todos.  Se os municípios, tanto do lado Alagoano como do lado Sergipano investirem no local, ambos podem crescer sem um tomar o espaço de outro, afinal os Cânions e o Rio São Francisco são de todos.   Conversando com o pessoal da região, descobrimos que existem  trilhas e camping que pode ser feito naquela região, então é muito potencial turístico que precisa ser investido e explorado.

Enquanto isso não ocorre, precisamos de turistas um pouco mais questionadores que realmente vão atrás de novas formas de fazer turismo, e se perguntam , indagam, será que é só isso mesmo?

Contatos:

O Pioneiro

Contato: Edileine/Cícero

Telefones: (82) 3641-3645/(82)8174-6206/(82)8735-6975

e-mail: opioneiro.tur@gmail.com

Endereço: Praça Vicente de Menezes, 24 – 1º. Andar, Centro – Delmiro Gouviea – Alagoas – Brasil.

Restaurante Show da Natureza

Contato: Sr. Lourival

(82) 8874-6994/8894-2718/8888-8290/3643-1319

 9º Dia: São Antonio de Jesus (BA) – Vitória (ES)

O nosso resto de viagem foi mais a volta mesmo. Já estavamos com os olhos cheios de tanta beleza e deicidmos fazer um batidão. Uma boa opção no caminho de volta é parar na cidade de São Antonio de Jesus na Bahia. A cidade é um polo economico e oferece boa hospedagem, só fique atento com o preço, paramos em alguns hoteis que foram caros.

Estradas no Brasil

Não encontramos muitas dificuldades com relação as estradas durante todo o trajeto. As pistas estão boas, asfaltadas e com indicações, claro que com o GPS fica mais fácil. O nosso problema foi o transito mesmo. Pistas cheias de caminhões e todo tipo de veículo pesado, tirou muitas vezes a sensação de viagem a passeio. Penso que no futuro, o Brasil desenvolva estradas para esse tipo de veículo e para turistas, afinal, todo brasileiro tem muito do que ver dentro do nosso país.

Trecho em Sergipe

Trecho em Sergipe

Trecho em Alagoas

Trecho em Alagoas

10º Dia:  Vitória (ES) – São Paulo (SP)

Paramos em um Ibis em Vitória mesmo, péssimo por sinal. E voltamos pra casa.

Voltando pra casa outra vez!

Voltando pra casa outra vez!

Agradecimentos

Gostaria muito de agradecer o Blog da Matraqueando, Blog Viaje na Viagem,  a Secretária Municipal de Canindé , e a todas as pessoas que nos deram muita informação durante a viagem.

8 comentários sobre “Viagens – Sergipe e Alagoas

  1. Nil disse:

    Gostei do seu roteiro, sugestão na próxima poste mais fotos dos lugare e curiosidades.
    Outa sugestao, venha ao Rio Grande do Norte temos lugares lindo.
    Abraço
    Nil

    • Olá Nil, obrigada pelos seus comentários, vou tirar mais fotos na próxima e obrigada pela dica do Rio Grande do Norte, com certeza estará na minha lista de destinos a serem conhecidos!

  2. Tati, adorei tudo, fotos lindas, roteiro e dicas bem bacanas sobre tudo que existe nos locais, parabéns pelo trabalho tão bem elaborado… mais tambem vc sabe como fazer né? só não gostei de uma coisa: eu não estava junto, quem sabe na próxima…bj.

  3. Moro aqui em Sergipe e já fiz esses percursos entre Sergipe e Maragogi esse mesmo percurso rsss, é realmente lindo!!!! Infelizmente ainda temos muitos problemas de infraestrutura e acessos às informações, ainda precisamos melhorar bastante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s